segunda-feira, 26 de março de 2018

Polícia prende "Viúva-Negra" e dois comparsas, pelas mortes de marido e amante, no Norte de MT

 POLÍCIA CIVIL PRENDE "VIÚVA NEGRA" E DOIS COMPARSAS, PELAS MORTES DE MARIDO E AMANTE NO NORTE DE MT


 Os executores do amante( que era o atual companheiro),levaram a polícia até  onde estavam  enterrados a moto e vítima.





Foto: Reprodução P.J.C.


A elucidação de dois crimes envolvendo a morte de dois homens articulados pela mesma mulher,  foi desvendado pela Polícia Civil de Sinop, à 500 KM de Cuiabá.

 Na tarde deste sábado, dia 24, Policiais conseguiram chegar até a localização do corpo do atual companheiro de Cléia, Adriano Gino, de 29 anos, que estava desaparecido desde dezembro de 2017.


Cleia e manicure em um salão de beleza em Sinop, enquanto Adriano era Garçon, e ex amante, responsável pela morte do ex marido da suspeita.




As prisões foram realizadas através do cumprimento de Mandados de Prisões, expedidos contra dois homens e uma mulher, acusada de ter mandado assassinar o marido em 2016 e o amante em 2017.


Foto: imagem Reprodução 
A suspeita Cleia Rosa dos Santos Bueno, de 34 anos, que está sendo considerada a "Viúva Negra" do Norte de Mato Grosso,  teria articulado a morte do atual companheiro,  antigo amante,  executada por dois comparsas identificados como José Graciliano dos Santos de 30 e Adriano dos Santos, de 20, também presos nesta Operação, tendo como promessa de pagamento um veículo.


As Investigações realizadas pela Polícia Civil, apontaram que os suspeitos foram contratados por Cleia para matar Adriano Geno, seu atual companheiro, antigo amante ,que teria participado diretamente na morte do marido da mesma, em dezembro de 2016.

Foto: imagem Reprodução 

Adriano foi morto a golpes de enxada, conforme depoimento dos suspeitos, à polícia, alegando ainda que foram contratados pela mulher, com a incumbência de executarem a vítima, sendo ofertado como pagamento um veículo GM Prisma, apreendido pela Polícia.


 Adriano teria sido dopado pela mulher, em um plano para facilitar a ação dos comparsas que não tiveram dificuldades para executarem o mesmo, em sua casa.

Segundo um dos suspeitos, a vítima foi golpeada com uma enxada e seu corpo colocado no veículo Prisma  e posteriormente levado para o local, na zona rural, onde foi enterrado com sua moto.


A moto de Adriano também foi incendiada antes de enterrada no mesmo local, fato este ocorrido no dia 15 de Dezembro de 2017, sendo que com o sumiço da vítima, a mãe de Adriano registrou no dia 23 de dezembro uma ocorrência do desaparecimento do filho.

Foto: Reprodução P.J.C.
Adriano teria saído para trabalhar e não retornara para casa, sendo que seu celular estava desativado, inclusive a conta de WhatsApp teria sido apagada, conforme apurou as investigações do caso.

O pagamento teria sido o próprio veículo prisma, que não foi concretizado, pelo fato de ser apreendido pela polícia.

 Um dos suspeitos alegou que nunca havia se envolvido com coisas deste tipo, e trabalhava de segurança na cidade, quando após muita insistência da mulher acabou fazendo esta burrada.

A prisão de Cléia e dos outros dois comparsas foram
Cumpridas através dos Mandados de Prisões expedidos pela 1ª Vara Criminal da cidade de Sinop, sendo que foram presos nos bairros Jardim Primavera e Jardim Florência, onde também foram apreendidos aparelhos celulares, um revólver calibre 32, um tablet e ainda R$ .1822,00 em dinheiro.


O primeiro assassinato da Viúva Negra



A primeira vítima foi o próprio marido, Jandriel Alves Bueno, que morreu com 39 anos, em um assalto que levantou suspeita da família. 


O fato ocorrido no dia 14 de outubro de 2016. em uma tentativa de roubo ocorrido na residência. onde o mesmo sofreu duas perfurações de faca no abdômen. sendo socorrido Hospital Regional de Sinop, onde ficou cerca de dois meses e foi a óbito no dia 12 de Dezembro de 2016.

Durante o atendimento desta ocorrência de roubo a residência a suspeita demonstrou um suposto estado de choque, alegando que não saberia informar as características dos suspeitos e também detalhes como teria ocorrido o roubo, em sua residência, apenas dizendo que um dos suspeitos teria tentado lhe enforcar.

Conforme informações do Delegado Hugo Ângelo Reck de Mendonça, que está à frente do caso, a "viúva negra", teria armado com o amante na ocasião, (Adriano e atual vítima), a morte do marido, onde foi simulado um latrocínio, tendo em vista que a mesma desejava se separar do esposo.

Antes da morte do marido, no mês de fevereiro de 2016, Cleia chegou a registrar um boletim de ocorrência, notificando uma difamação praticada por ele contra a mesma.


Ela narrou que ao pedir a separação, seu marido, teria lhe perguntado se ela teria outro e acabou dizendo que "sim porque ele deu espaço",  mas que não tinha nenhum outro homem. neste momento  seu marido teria surtado e proferido diversos xingamentos e ameaças, chegando Inclusive a pegar uma faca.


Segundo ainda o Delegado, a família do marido já estava desconfiada mas faltavam elementos para confirmar as suspeitas e desvendar a verdade fatos, que que chegaram à tona agora ao descobrirem o amante da mulher e também que o mesmo já estava morto.





Cleia relatou aos policiais de que após o amante Adriano passar a conviver com a mesma, seu comportamento mudou totalmente, e passou a ser ameaçada de morte, caso a deixassem. Também teria dito que  mataria sua mãe e seus filhos.


Cléia e seus comparsas foram presos e vão responderem por homicídio qualificado, destruição, subtração ou ocultação de cadáver.

José Graciliano dos Santos ainda foi autuado em flagrante pela posse irregular de arma de fogo, por ter sido encontrado em sua casa um revólver calibre 32.