Informe a PRF Roubo ou Furto de veículo

Policiais Militares de Porto Esperidião impedem homem de cometer suicídio, saltando de ponte




 POLÍCIA MILITAR DE PORTO ESPERIDIÃO IMPEDE HOMEM DE COMETER SUICÍDIO, SALTANDO DE PONTE

 O homem aparentemente embriagado e por problemas conjugais, estava sentado na mureta da ponte, pretendendo se jogar dentro do Rio Jauru.

Imagem Google Maps  Street View/ Ed F.A.


 O caso ocorreu por volta das 16 horas, deste domingo, dia 8, quando Policiais Militares do 1º Pelotão PM de Porto Esperidião, distante a 320 KM da Capital Cuiabá.  

Os militares foram informados por populares, que na  ponte sobre o Rio Jauru, na BR 174,  na entrada da cidade, havia um indivíduo aparentemente transtornado e ameaçando se jogar dentro do Rio Jauru.


Os militares se deslocaram até o local, onde iniciaram um diálogo com a vítima J. C. I. S. de 43 anos, que aparentemente se mostrava irredutível em sua decisão de saltar dentro do Rio.

A morte do indivíduo seria um fato iminente devido a altura e ainda a imensa quantidade de pedras existentes no local, que nesta época do ano ficam submersas.

 Um amigo da vítima também estava tentando convencê-lo de não praticar tal ato e buscando também auxiliar aos policiais, pois ele teria o conhecimento e a confiança para inclusive tirar o foco do suicídio do amigo.

O homem, que ainda apresentava sintomas de embriaguez,  com palavras e frases desconexas e estado emocional aparentemente muito abalado, queixava-se de problemas pessoais e sentou-se na mureta da ponte inclinando o corpo para  fora da estrutura, demonstrando a intenção de se jogar.


Foto: Raul Valentim
 Durante o diálogo com o homem os policiais aproveitaram um breve momento de distração do mesmo  e conseguiram agarrá-lo, puxando-o para dentro da ponte e conseguindo imobilizá-lo 


O mesmo ainda tentava resistir sendo, inclusive necessário ser algemado para preservar sua integridade física como também dos policiais.


 Amigos e familiares, inclusive a esposa do mesmo acompanhou o trabalho da Polícia Militar, que o encaminhou o homem para a Delegacia de Polícia Civil, onde posteriormente foi ouvido e retornou a sua residência com sua esposa, amigos e familiares.

 O motivo de tal decisão segundo a própria esposa, relatou a polícia, seria o fato do mesmo ter ingerido bebida alcoólica e também de um desentendimento entre o casal.

 O caso foi registrado na DP que ainda toma outras providências.


 Não postaremos foto do homem em respeito a sua situação , pois o mesmo precisa neste momento é de ajuda e a divulgação de sua imagem em nada adiantaria para lhe ajudar.

 Só para entendimento a lei diz que :


Lei das Contravenções Penais pune quem “praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto” (art. 41).
Por fim, cometer suicídio não é crime, mas instigar, auxiliar ou induzir alguém a cometer suicídio é crime, se a pessoa de fato tentar se matar. É o caso das pessoas que fornecem a arma para que o suicida se mate ou das pessoas que se gritam para que o suicide se atire do alto do prédio. Aliás, esse é o mesmo crime cometido por quem pratica eutanásia.

Instigar, auxiliar ou induzir alguém ao suicídio é um crime contra a vida, e é julgado pelo tribunal do júri.

Mais Vistas

Fatalidade na MT-170; Motociclista motociclista morre ao ser atropelado por caminhão leiteiro em Salto do céu

Gefron apreende 31,5 Kg de cocaína pura na fronteira e manda quatro para o xilindró.

Desavença em "boca de fumo" termina com mulher cravando faca na cara de outra

Homem é executado à tiros no meio da rua em São José dos Quatro Marcos

PM de Salto do Céu recupera Toyota SW4, pertencente o futuro Chefe da Casa Civil de Mato Grosso

Bombeiros encerram buscas por mulher que se jogou no rio para salvar filha

Gefron prende Casal de Pontes e Lacerda por evasão de Divisa em Porto Esperidião, quando seguia para Bolívia

PM de Mirassol D´oeste recupera Hilux arma e munições roubadas de fazenda em Curvelândia

Polícia Civil apreende 350 kg de maconha em rodovia na entrada da Capital

PM prende estelionatária de 65 anos após golpe em Banco de Curvelândia, outra mulher estava junto mas alega ser inocente

Seguidores