domingo, 8 de abril de 2018

Policiais Militares de Porto Esperidião impedem homem de cometer suicídio, saltando de ponte




 POLÍCIA MILITAR DE PORTO ESPERIDIÃO IMPEDE HOMEM DE COMETER SUICÍDIO, SALTANDO DE PONTE

 O homem aparentemente embriagado e por problemas conjugais, estava sentado na mureta da ponte, pretendendo se jogar dentro do Rio Jauru.

Imagem Google Maps  Street View/ Ed F.A.


 O caso ocorreu por volta das 16 horas, deste domingo, dia 8, quando Policiais Militares do 1º Pelotão PM de Porto Esperidião, distante a 320 KM da Capital Cuiabá.  

Os militares foram informados por populares, que na  ponte sobre o Rio Jauru, na BR 174,  na entrada da cidade, havia um indivíduo aparentemente transtornado e ameaçando se jogar dentro do Rio Jauru.


Os militares se deslocaram até o local, onde iniciaram um diálogo com a vítima J. C. I. S. de 43 anos, que aparentemente se mostrava irredutível em sua decisão de saltar dentro do Rio.

A morte do indivíduo seria um fato iminente devido a altura e ainda a imensa quantidade de pedras existentes no local, que nesta época do ano ficam submersas.

 Um amigo da vítima também estava tentando convencê-lo de não praticar tal ato e buscando também auxiliar aos policiais, pois ele teria o conhecimento e a confiança para inclusive tirar o foco do suicídio do amigo.

O homem, que ainda apresentava sintomas de embriaguez,  com palavras e frases desconexas e estado emocional aparentemente muito abalado, queixava-se de problemas pessoais e sentou-se na mureta da ponte inclinando o corpo para  fora da estrutura, demonstrando a intenção de se jogar.


Foto: Raul Valentim
 Durante o diálogo com o homem os policiais aproveitaram um breve momento de distração do mesmo  e conseguiram agarrá-lo, puxando-o para dentro da ponte e conseguindo imobilizá-lo 


O mesmo ainda tentava resistir sendo, inclusive necessário ser algemado para preservar sua integridade física como também dos policiais.


 Amigos e familiares, inclusive a esposa do mesmo acompanhou o trabalho da Polícia Militar, que o encaminhou o homem para a Delegacia de Polícia Civil, onde posteriormente foi ouvido e retornou a sua residência com sua esposa, amigos e familiares.

 O motivo de tal decisão segundo a própria esposa, relatou a polícia, seria o fato do mesmo ter ingerido bebida alcoólica e também de um desentendimento entre o casal.

 O caso foi registrado na DP que ainda toma outras providências.


 Não postaremos foto do homem em respeito a sua situação , pois o mesmo precisa neste momento é de ajuda e a divulgação de sua imagem em nada adiantaria para lhe ajudar.

 Só para entendimento a lei diz que :


Lei das Contravenções Penais pune quem “praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto” (art. 41).
Por fim, cometer suicídio não é crime, mas instigar, auxiliar ou induzir alguém a cometer suicídio é crime, se a pessoa de fato tentar se matar. É o caso das pessoas que fornecem a arma para que o suicida se mate ou das pessoas que se gritam para que o suicide se atire do alto do prédio. Aliás, esse é o mesmo crime cometido por quem pratica eutanásia.

Instigar, auxiliar ou induzir alguém ao suicídio é um crime contra a vida, e é julgado pelo tribunal do júri.